Seja bem vindo!
Fico muito feliz por você visitar meu blog, este cantinho que tenho registrado minhas reflexões acerca da educação.
Espero que você goste e lhe ajude na sua pesquisa.
Um grande abraço e muito obrigada!

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Projeto: Contando e Recontando com Ana Maria Machado.


Conte histórias em voz alta, dê livros bons para as
crianças lerem sozinhas. O futuro agradece. O seu,
                                       o delas, o da humanidade. (Ana Maria Machado).

Justificativa:
         A literatura infantil é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções, sentimentos de forma prazerosa e significativa. É de suma importância para a formação de qualquer criança ouvir histórias, pois é atraves dos livros e contos infantins que a criança enfoca a sua relevância de ouvir, contar e recontar histórias. Segundo Abramovich, “...Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo...”. Incentivar a formação do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam, isto é, na infância, é muito importante. Neste sentido a literatura infantil é uma peça fundamental para este desenvolvimento.
         Nesse processo, o acesso a literatura, seja por via da contação de histórias, seja por outras vias, permite a criança vivenciar o prazer de ouvir histórias, além de contribuir para a construção de um saber sobre diferentes modos de contar ou narrar, sobre a estrutura de um texto, sobre a linguagem oral e escrita. Segundo Ana Maria Machado, oferecendo bons livros, lendo e contando histórias para as crianças, adaptando contos de fadas, fábulas, lendas, e outros textos que fazem parte de seus repertórios culturais, isso com certeza favorecerá o processo de construção de múltiplas habilidades. Dessa maneira, acreditamos que um caminho possível de ser trilhado junto com as crianças é o da literatura.
         Ouvir e contar histórias representa, ainda, segundo Araújo (2005), o desenvolvimento de uma experiência formadora na medida em que, ao    fazê-lo, ocasionamos o nosso imaginário, entramos em contato com situações agradáveis ou não, e estabelecemos relações com elementos que se encontram dentro e fora de nós mesmos, marcando a nossa presença no mundo e contribuindo para a construção de novos conhecimentos, já que,

[...]quando narramos as nossas próprias
experiências, ocasionamos estados de
 ser que estavam adormecidos, guardados
em algum lugar de nossas memórias e
que, ao serem narrados, passam porum
processo de renovação, uma vez que
 tentamos ressignificá-las no momento
em que narramos(ARAÚJO,2005,p.33-34).

         Por isso, além de contar histórias em diferentes portadores como livros, folhetos, revistas, gibis, devemos possibilitar situações em que as crianças narrem suas experiências: o que fez no final de semana, as coisas que gostam, que não gostam, as que têm medo, episódios do cotidiano, suas experiências de vida dentro e fora da escola.
         Percebe-se a grandeza da importância das histórias dentro do universo infantil, em que a criança acaba se sentindo parte dessas e fortalecendo suas relações com o meio em que está inserida, desenvolvendo fantasia e imaginação.
         Sendo assim, acreditamos que por meio desse projeto: Contando e Recontando com Ana Maria Machado, as crianças constroem e reconstroem significados através da leitura, uma vez que a criança adquire uma postura crítico-reflexiva, extremamente relevante a sua formação cognitiva aprimorando a sua capacidade de imaginação. Ouvir histórias é um acontecimento tão prazeroso que desperta o interesse das pessoas em todas as idades. A literatura infantil então, deve fazer parte da rotina das crianças, tanto na escola quanto em casa, uma vez que, por meio da literatura podemos levar nossas crianças para qualquer lugar, mágico ou real, pois na relação imagem-leitor, a criança sente-se autorizada a dar um significado naquilo que vê.

Objetivo Geral:
         Despertar na criança o interesse e gosto pela leitura, possibilitando assim o aprendizado da literatura visual através das imagens desenvolvendo o saber ler sem saber ler, como também oportunizar as crianças adentrarem no mundo da imaginação e ao mesmo tempo descobrirem o maravilhoso universo da literatura infantil.
 Objetivos Específicos:
·        Apreciar histórias;
·        Desenvolver a linguagem oral e a capacidade de ouvir com atenção;
·        Aguçar o prazer pela leitura;
·        Valorizar a importância da leitura na vida das crianças;
·        Ampliar a importância do respeito as diferenças;
·        Contar e recontar estórias.
·        Estimular a criatividade.
·        Organizar ideias e pensamentos, mediante a história contada.
·        Identificar personagens;
·        Explorar os conceitos matemáticos;
·        Explorar numerais, sequências de cores e formas;
·        Desenvolver a linguagem escrita através do desenho e a escrita do nome;
·        Comparar quantidades;
·        Desenvolver a lateralidade e a percepção visual.
·        Estimular o gosto e o prazer pelo fazer artístico, através da pintura, músicas, danças, entre outros;
·        Vivenciar e valorizar as datas comemorativas mais significativas do bimestre;
·         Apropriar-se de recursos para contação de histórias.
·        Incentivar o uso da linguagem verbal e não verbal.
·        Desenvolver na criança a capacidade de formar seus conceitos.
·        Oportunizar momentos lúdicos onde a criança possa desenvolver a imaginação e a criatividade, despertando o gosto pela literatura.
·        Confrontar a realidade e fantasia.

Conteúdos:
Linguagem oral e escrita:
·        Conversas informais e formais;
·        Contação e reconto de histórias;
·        Leitura de imagens, objetos, letras e números;
·        Reconhecimento do nome;
·        Escrita do primeiro nome;
·        Desenhos livres e direcionados.
Matematica:
·        Contagem oral de alunos e objetos;
·        Cores primárias e secundárias;
·        Texturas;
·        Formas geometricas (círculo, quadrado e triângulo);
·        Noção de quantidade;
·        Conceitos matemáticos (pequeno/grande, em cima/embaixo, perto/longe, curto/comprido, fino/grosso, entre outros).
Natureza e sociedade:
·                Datas comemorativas e significativas do bimestre (dia do amigo; dia dos avós; festa da colheita de Cruzeta; dia do estudante; dia dos pais; 7 de setembro; festas populares).
Formação pessoal e social:
·        Regras de convívio social;
·        Construção de valores;
·                Comunicação e expressão dos desejos, sentimentos, vontades, ideias, preferências;
·                Participação nas atividades sociais da escola e da comunidade.
Artes:
·                   Exploração e manipulação de diversos materiais como lápis de cores, giz de cera, pinceis, tintas e massinha de modelar;
·                   Pintura, dobradura, desenhos, colagens e outros;
·                   Confecção de maquetes;
·                   Confecção de brinquedos utilizando materiais de sucata;
·                   Fantoches.
Música:
·        Ouvir e apreciar canções diversas;
·        Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos.
Movimento:
·                           Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da linguagem oral;
·                           Ampliação das possibilidades expressivas do próprio movimento, utilizando gestos diversos e o ritmo corporal em brincadeiras, danças, jogos e demais situações de interação;
·        Dramatização de histórias.
Metodologia:
As esperiências promotoras de aprendizagem e consequente desenvolvimento das crianças devem ser propiciadas em uma frequências regular e serem, ao mesmo tempo, imprevistas, abertas a surpresas e a novas descobertas (DCNEB, p.93, 2013). Neste sentido, os conteúdos serão desenvolvidos por meio de diferentes estratégias tais como: conversa informal, troca de ideias; contação de estória; dramatização e registro feito pelas crianças através de desenho e oralmente; exploração dos personagens e modelagem dos mesmos; reconto oral pelas crianças das estórias apresentadas; indetificação de valores encontrados nos personagens das estórias; músicas; brincadeiras; pintura; recorte e colagem; dobradura; vídeos; sons; pesquisas; atividades coletiva e individual; utilização de fantoches diversos; construção de cenários para dramatizações, com intuito de favorecer aprendizagens significativas.
Avaliação:
A avaliação é instrumento de reflexão sobre a prática pedagógica na busca de melhores caminhos para orientar as aprendizagens das crianças (DCNEB, p. 95,2013). Nesse processo, avaliação acontecerá no decorrer do projeto de acordo com a participação das crianças, por meio da observação diária delas nas atividades propostas, desenvolvimento e dificuldades apresentadas, bem como a realização de registros referentes aos avanços das crianças.
Produto Final:
Realizar-se-á uma amostragem dos conteúdos e experiências vivenciadas para a comunidade escolar.
  






Dramatização da história: Menina Bonita do Laço de Fita.

Dramatização da história: Doroteia, Centopeia.





Projeto: Toque de cá que eu Canto de lá.



I JUSTIFICATIVA:
A música é a linguagem que se traduz em forma sonoras capazes de expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio da organização e relacionamento expressivo entre som e o silêncio. É uma das formas importantes de expressão humana, o que por si só justifica sua presença no contexto da educação (RCNEI, vol. 3, p. 45).
A criança ao brincar, produz música através da relação que faz com o mundo, quando esta imita, inventa e reproduz eventos sonoros. Por isso, a linguagem musical se vivencia pelo jogo, pelo movimento, pela valorização na realização. Dessa forma, som e movimento se integram então no brinquedo musical, que envolve o cantar, o dançar, o tocar e o se movimentar, que transformam os sons em música.
Sendo a música um meio de expressão e forma de conhecimento acessível às crianças, essa linguagem é excelente meio para o desenvolvimento da expressão, do equilíbrio, da autoestima e autoconhecimento, além de poderoso meio de integração social, e por isso é de fundamental importância que lhes sejam proporcionadas as mais diversas experiências com essa linguagem no contexto educacional desde a primeira infância.
Adultos cantam melodias curtas, cantigas de ninar, fazem brincadeiras cantadas, com rimas, parlendas etc., reconhecendo o fascínio que tais brincadeiras exercem. Encantadas com o que ouvem, as crianças tentam imitar e responder, criando momentos significativos no desenvolvimento afetivo e cognitivo, responsáveis pela criação de vínculos tanto com os adultos quanto com a música.
Portanto, esse Projeto: Toque de cá que eu Canto de lá, visa levar as crianças a um processo contínuo de construção que envolve perceber, sentir, experimentar, imitar, criar e refletir sobre os sons no fazer musical.


II OBJETIVO GERAL:
Oportunizar as crianças a vivenciarem um processo contínuo de construção que envolva o perceber, sentir, experimentar, imitar e criar, refletindo sobre os sons no fazer musical.

III OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
·        Ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções musicais;
·         Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais.
·        Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo;
·        Perceber e expressar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio de improvisações, composições e interpretações musicais.
·        Explorar materiais e escutar obras musicais para propiciar o contato e experiências com a matéria-prima da linguagem musical: o som (e suas qualidades) e o silêncio;
·         Refletir sobre a música como produto cultural do ser humano;
·        Proporcionar que as crianças desfrute música, em propostas de audição e realização musical;
·        Promover a musicalização da criança, tornando-a sensível e receptiva ao fenômeno sonoro;
·        Favorecer o conhecimento pela criança acerca dos elementos sonoros, bem como suas funções dentro da música;
·         Ampliar o repertório musical das crianças;
·         Oportunizar releituras sonoras diversas;
·         Estimular a linguagem oral para socializar as opiniões no grupo;
·         Despertar o gosto pela leitura;
·         Expressar desejos, opiniões, necessidades e ideias;
·         Praticar a linguagem escrita através do conhecimento do primeiro nome;
·         Reconhecer a letra inicial do nome;
·         Exercitar a contagem oral através da contagem de meninos e meninas;
·        Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação;
·         Favorecer a construção de valores pelas crianças;
·        Manipular e explorar objetos e brinquedos, em situações para que cada criança possa descobrir as características principais e suas possibilidades associativas: empilhar, rolar e encaixar;
·         Situar objetos: Longe/perto, atrás/à frente, em cima/embaixo;
·         Preservar a cultura, resgatando a diversidade e a pluralidade cultural;
·        Utilizar as artes visuais para expressar, comunicar e atribuir sentido a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade;
·        Ampliar as possibilidades expressivas do próprio corpo utilizando gestos diversos e o ritmo corporal nas brincadeiras, danças, jogos e demais situações de interação.

IV CONTEÚDOS:
1 Linguagem oral e escrita:
ü  Conversas informais e formais;
ü  Contação de história;
ü  Leitura de imagens, objetos, letras e números;
ü  Reconhecimento do nome;
ü  Desenhos direcionados;
ü  Escrita da primeira letra do nome;
ü  Leitura de notas musicais.

2 Matemática:
ü  Contagem oral;
ü  Noção de quantidade;
ü  Forma geométrica: círculo;
ü  Noção de tempo e espaço;
ü  Escrita de números.

3 Natureza e sociedade:
ü  São João: comidas típicas.

4 Formação pessoal e social:
ü  Comunicação e expressão dos desejos, desagrados, preferências e vontades;
ü  Regras de convívio social;
ü  Construção de valores.


5 Artes:
ü  Exploração e manipulação de diversos materiais como lápis, pinceis, tintas e massinha de modelar;
ü  Pintura, dobradura, desenhos, colagens e outros;

6 Musica:
ü  Ouvir e aprender canções;
ü  Escuta de sons diversos;
ü  Notas musicais:
ü  Vibração;
ü  Som;
ü  Silêncio;
ü  Parâmetros do som: altura, duração, intensidade, timbre e densidade;
ü  Criação e reprodução: interpretação, improvisação e composição;
ü  Instrumentos musicais.

7 Movimento:
ü  Movimentos nas situações cotidianas de cantigas e brincadeiras;
ü  Gestos corporais.
ü  Cantigas de roda.
ü  Dramatização;
ü  Relaxamento.

V METODOLOGIA:
            A rotina devem envolver os cuidados, as brincadeiras e as situações de aprendizagem, que requer diferentes estruturas didáticas (Brasil, vol. I, 1998.). Portanto, os conteúdos serão desenvolvidos através de diferentes estratégias como: músicas, brincadeiras, conversas na rodinha, contação de história, desenho, pintura, recorte e colagem, dobradura, dramatização, vídeos, pesquisas, atividades coletiva e individual, com intuito de favorecer aprendizagens significativas.  

VI AVALIAÇÃO:
            A avaliação na área de música deve ser contínua, levando em consideração os processos vivenciados pelas crianças, resultado de um trabalho intencional do professor. Deverá constituir-se em instrumento para a reorganização de objetivos, conteúdos, procedimentos e
atividades, como forma de acompanhar e conhecer cada criança e o grupo, baseando-se na observação cuidadosa do professor e a partir desta  serão registradas as aprendizagens das crianças através de registros escritos e audiovisuais.

VII: CULMINÂNCIA:
Realizar-se-á através de uma apresentação de dança pelas crianças para a comunidade escolar no Arraiá do Algodão Doce, por ocasião das festividades juninas.